Quer conhecer melhor a Acupuntura?

08/08/2019 | Dicas de Saúde

Você sabia que a Acupuntura é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina como especialidade médica desde 1995? Originário da China, esse método terapêutico se caracteriza pela inserção de agulhas na superfície corporal, para tratar doenças e promover a saúde. Mas como ele funciona? Quais as indicações? Quais profissionais estão habilitados para a prática desta terapia? Reunimos neste post tudo o que você precisa saber sobre Acupuntura.

Como funciona

As incontáveis e ininterruptas pesquisas científicas realizadas nas últimas décadas elevaram os efeitos e resultados da Acupuntura a níveis bastante elevados. A inserção da agulha estimula terminações nervosas existentes na pele e nos tecidos subjacentes, principalmente os músculos. Os estímulos gerados seguem pelos nervos periféricos até o sistema nervoso central (medula e cérebro), levando à liberação de diversas substâncias químicas conhecidas como neurotransmissores. A partir daí, desencadeia-se uma série de efeitos, como analgésico, anti-inflamatório e relaxante muscular, além da ação moduladora sobre as emoções, o sistema endócrino e imunológico e sobre várias outras funções orgânicas.

Indicações

O campo de atuação da Acupuntura é amplo, devido à sua própria natureza e mecanismos de ação, pois ao estimular o sistema nervoso, regula e harmoniza o funcionamento do organismo como um todo. Pesquisa e prática têm comprovado uma grande eficácia no tratamento de inúmeras doenças e disfunções orgânicas, incluindo neurológicas, psiquiátricas, ortopédicas, respiratórias, reumatológicas e digestivas, entre outras. 

Atendimento

Enganam-se aqueles que acreditam que o atendimento do médico acupunturiatra consiste apenas em "inserir agulhas pelo corpo do paciente". Essa é apenas uma das etapas de uma série de procedimentos que obedece à mesma sequência de uma consulta médica de outra especialidade. Assim sendo, durante a anamnese, as histórias do paciente e suas queixas são ouvidas e anotadas. A seguir, é realizado um exame físico e, quando necessários, são solicitados e interpretados exames complementares. Só assim o médico consegue elaborar um diagnóstico clínico, até mesmo para entender se a Acupuntura é o tratamento indicado para o caso.

Tratamentos simultâneos

A associação da Acupuntura com outras formas de tratamento não apenas é possível, como é benéfica para o paciente. Isso significa que não é preciso interromper tratamentos em andamento.

Agulhas, só descartáveis

A normatização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) determina que a Acupuntura seja realizada exclusivamente com material descartável. Porém, alguns profissionais sem formação adequada insistem na reutilização do material. É importante saber que este procedimento pode acarretar inúmeras doenças. Dentre elas, hepatites, meningites, mastoidites, encefalites, etc. As agulhas nunca devem ser reaproveitadas, nem no mesmo paciente, pois uma vez guardadas, podem ser contaminadas. 

Que profissionais podem praticar a Acupuntura?

Por lei, os únicos profissionais de saúde do País que detêm o direito de diagnosticar doenças, realizar procedimentos invasivos e prescrever medicamentos são os médicos, os cirurgiões dentistas e os médicos veterinários, cada um em seu respectivo campo de atuação. Bem praticada, a Acupuntura não oferece riscos. No entanto, se realizada por profissionais sem a devida qualificação, pode sim ter efeitos adversos, além de resultar em infecções, lesões e perfurações que demandem socorro adequado.

Marque sua consulta!

Agora que você já sabe tudo o que precisa sobre Acupuntura, que tal marcar a sua consulta com uma especialista? A médica acupunturiatra Dra. Elisa Menezes é mais um reforço recente ao quadro de especialistas da MedCal. Agende hoje mesmo a sua consulta pelo telefone (47) 3363-6066, WhatsApp (47) 99696-8174 ou no site pelo Agendamento Online.

Fontes: Dra. Elisa Menezes; Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura – CMBA